segunda-feira, 18 de junho de 2012

Until The Last Moment



Capítulo 7
Colour

Estava em Portugal há uma semana, saía com a Ana e tentava pôr as coisas no lugar na minha cabeça, não que fosse fácil.
Estava na minha cama, a olhar para a marca que o meu anel tinha deixado no meu dedo quando o meu pai bateu à porta.
- Filha?
- Podes entrar, pai – Não entendia o comportamento do meu pai, normalmente ele abriria a porta ou só gritaria ‘o jantar está pronto!’, mas assim que a porta abriu-se, eu entendi porquê. Harry estava ali. Durante todo aquele tempo em Portugal, eu imaginava como seria vê-lo quando voltasse para Londres. Se ele estaria acabado, se ele me pederia para voltar, se ele estaria com outra mulher, se ele nem queria saber mais de mim, ou se ele negaria em ver-me, mas nunca, nem por um momento, o imaginei na minha porta.
Ele estava exatamente como eu me lembrava dele. Exatamente como o meu Harry era. Lindo. Suspirei e ajeitei-me na cama.
- Tudo bem pai, podes deixar – Disse ao notar que o meu pai não pretendia nos deixar a sós.
- Certo, qualquer coisa, é só chamar – Disse olhando de mim para o Harry.
- Queres-te sentar? – Eu disse para o Harry no momento em que o meu pai fechou a porta.
- Não, na verdade queria saber se queres sair, conversar  noutro lugar – Disse quase a sussurar, a voz dele ainda me causava arrepios.
- Claro, deixa-me só trocar de t-shirt.
- Ok, espero por ti lá fora.
Harry levou-me para um café que nós costumávamos frequentar na época em que namorávamos. Sentamos-nos à mesa habitual, mais no fundo e ele olhava-me como se quissesse ver se tinha perdido alguma mudança nestas três semanas de separação.
- Continuas óptima.
- Obrigada, também estás muito bem – Disse, tentando sorrir.
Em nenhum momento ele falou algo sobre a separação e eu também não disse nada. Éramos como bons amigos a conversar.  De repente um empregado indicou-nos que o café iria fechar pois já eram três da manhã.
- Nós podíamos ir para o meu hotel –Disse o Harry, enquanto caminhávamos até a um táxi – Só para conversar...
- Eu não sei se é uma boa ideia, Harry.
- Eu não te vou atacar, nem nada disso, se é o esse o teu medo. – Ele disse, sem saber que o meu maior medo era de ser eu a atacá-lo e não ao contrário.
- Vamos – Disse enfim, entrando no táxi.
Assim que entrei no quarto dele, arrependi-me por tê-lo feito. Fui buscar dois copos de sumo, um para mim e outro para ele. Tive um ligeiro déjà vu, mas ignorei. Ao entregar-lhe o copo, as nossas mãos tocaram-se por um único segundo, de repente deparei-me com o meu corpo contra o corpo dele e os nossos lábios mostravam que ainda conheciam o ritmo um do outro.
Tudo parecia tão certo, a mão do harry no meu corpo, o suor de nossos corpos dificultou o despir das nossas roupas. Ele deitou-me calmamente na cama. Tudo foi incrível, era como se os nossos corpos mostrassem que nós éramos feitos um para o outro.

Acordei na manhã seguinte, achei que talvez eu e o Harry pudéssemos resolver tudo, que talvez eu não precisasse de acabar com o meu casamento, que talvez ainda não fosse a hora de ligar para a florista e cancelar tudo. 
Abri os olhos e o Harry não estava na cama, preparei-me para invadir o seu banho, mas não estava ninguém no duche.
Não estava ninguém para além de mim naquele quarto de hotel. 
O telefone do quarto tocou e acabei por atender :

- Menina Styles? O seu marido pediu-me para que eu ligasse às dez da manhã. O pequeno almoço vai ser entrege agora.

- Está bem – Disse, ainda sem entender direito tudo aquilo – O Harry deixou algum recado? – Perguntei. Senti-me estúpida a fazer aquela pergunta.

- Não.
- Ok – Disse ao ouvir batidas na porta – Acho que é o serviço de quartos, obrigada.
- Tenha o resto de um bom dia – Respondeu.
Eu desliguei e abri a porta para o rapaz que empurrava um carrinho cheio de coisas deliciosas. Que pena, a minha fome tinha desaparecido, tal e qual o que aconteceu com o Harry.
Quando voltei para a cama, reparei que estava um bilhete na mesa.

‘Loira, desculpa-me por não ter ficado aqui até acordares. 
Tenho um assunto para resolver em Las Vegas. 
Voltarei para o lanche.
P.S : Será que há alguma oportunidade de voltares a usar isto?’

Em cima, estava o meu anel de noivado.

Quando eu achava que tudo finalmente estava a tomar o caminho certo, tinha de haver um desvio. Que assunto era esse que era mais importante do que o nosso relacionamento? Então eu continuava a ser uma segunda opção para ele? Ele iria continuar a deixar-me quando aquele assunto misterioso aparecesse?

Vesti as minhas roupas e coloquei o meu anel de noivado dentro do meu bolso. Se o Harry achava que tudo isto seria mais fácil, estava enganado. 
Eu queria que o nosso relacionamento desse certo, mas não desta maneira.

1 comentário:

Tania Cruz disse...

lindo lindo, quero o próximo! :D ♥